12.2.09

O OBSERVADOR

O observador

Nas horas matutinas, quando o dia acorda a noite e a lua se despede da boemia, os deuses reencontram suas moradas. Ruas são sempre caminhos de ninguém. Calçadas, árvores, lixeiras e andarilhos não existem mais, são apenas coisas comuns à paisagem. O que existem são os anfitriões da noite e corruptos do dia. Horas e horas negando o ócio que faz o mundo girar em paradoxos inexoráveis.
Tantas pessoas aqui e ali num zigue-zague maluco. Aquela é tão diferente! Essa parece triste. Estaria aquela outra feliz ou esconde dores que só a alma conhece? O olhar segue os passos, os braços, os jeitos, o individual, o todo. Do alto é possível ver melhor. O que parecia cheio de diferenças é completamente igual. Do alto, a vida parece ou é, uma mera ilusão de ótica.
Para onde foram os sonhos que não se realizaram? Os sonhos não sonhados? Os sonhos frustrados? Vão todos para a morte, lá onde a noite começa e o dia termina como todos os outros. Qual a importância daquilo que você se importa? Toda casa tem uma porta. Isso não importa. Quem passa por ela, abre ou fecha, limpa ou entorta, traz vida ou deixa morta e vai embora. Compre um saco de batatas, um carro novo, fuja para a montanha, vá para o meio do povo. Não importa o que você faz ou com quem você está, no final, você sempre estará sozinho.
Nas horas vespertinas, quando o sol anuncia a lua e os deuses servem para nada, as ruas se derramam embriagadas do dia e o dia se entorpece de madrugadas. Deixem a paisagem se mover e os semoventes com suas dignas loucuras. Chamem as prostitutas e os padres, os intelectuais e os imbecis, as lixeiras e as calçadas, o tudo e o nada. Cantem hinos, bebam vinho. Aproveitem o dia fugaz – “carpe diem” - Festejem os anfitriões da noite e os corruptos do dia. Façam o que quiser estejam onde estiver. Somos todos meros desenhos da paisagem. A importância sempre depende de quem olha. E quem observa, observa sempre a partir de si mesmo.

Sidinei Cruz Sobrinho
Passo Fundo, 08 de fevereiro de 2009.

Um comentário:

Ale disse...

Bela observação!!

Muito bom!